Qualidade de Vida – 3 Coisas que você deveria fazer para viver mais

O que significa ter uma boa qualidade de vida? É o que muitas pessoas se perguntam, e buscam ao longo do tempo.

No entanto, existem muitas respostas para esse questionamento. Segundo a Organização Mundial da Saúde, qualidade de vida envolve “estar envolvido em um contexto cultural e em um sistema de valores, relacionando seus objetivos, expectativas e preocupações”.

Ou seja, qualidade de vida é uma meta de longo prazo. Ela busca equilibrar não apenas a saúde, mas também o bem-estar emocional, psicológico e social.

Por isso, é necessário buscar uma série de coisas para atingir esse equilíbrio. Envolve hábitos, decisões pessoais e mudança.

Sendo assim, confira 3 coisas essenciais que é preciso fazer para ter qualidade de vida, e como elas influenciam no seu bem-estar.

Vamos lá?!

O que é qualidade de vida e estilo de vida?

 

Atualmente, é comum a confusão envolvendo os conceitos de qualidade de vida e estilo de vida.

No entanto, eles estão diretamente interligados, apesar de serem duas coisas diferentes.

A princípio, qualidade de vida é um conceito multidimensional. Ela está ligada a fatores como necessidades humanas, relacionamentos sociais, educação e condições básicas de sobrevivência.

Por exemplo, possuir moradia digna, água tratada, saneamento básico, acesso a tratamentos de saúde e cultura.

Enquanto isso, estilo de vida reúne uma série de características relacionadas a forma de viver. Esse termo está muito ligado as estratificações sociais e vivência.

Como exemplo, podemos mencionar os diferentes estilos de vida, como:

  • Jovem;
  • Universitário;
  • Urbano;
  • Rural;
  • De alta classe;
  • Entre outros.

Dessa forma, podemos concluir que o estilo de vida deve procurar oferecer qualidade de vida para o cidadão.

O que é preciso para ter uma boa qualidade de vida?

 

Depois de entender o que é a qualidade de vida e sua importância, é preciso conhecer os fatores necessários para alcançar esse objetivo.

Apesar de existirem diversos elementos influentes, é possível destacar 3 condições principais. Confira agora:

1. Exercício

Antes de mais nada, é preciso praticar exercícios regularmente. Saúde e qualidade de vida estão diretamente ligadas.

Além disso, um estilo de vida mais ativo é capaz de evitar uma série de doenças. Esta é uma das principais recomendações de médicos e especialistas.

Por isso, praticar exercícios é fundamental para ter uma boa qualidade de vida. A princípio, atividade física é descrita como todo movimento corporal produzido pelos músculos.

Dessa forma, não é preciso realizar exercícios muito complexos para ter uma boa saúde. Por exemplo, subir pelas escadas em vez de elevador. Ir trabalhar a pé, em vez de carro, ou andar de bicicleta.

Assim que as atividades se tornarem parte da rotina, o corpo passa por uma melhora em sua aptidão. Ganha força, resistência e flexibilidade, por exemplo.

Existem diversas alternativas para quem deseja começar a praticar exercícios físicos. Por exemplo:

  • Academia (levantamento de peso);
  • Pilates;
  • Exercícios aeróbicos;
  • Ioga;
  • Atividades de alto impacto;
  • Esportes.

Seja como for, atividades físicas são essenciais para um estilo mais ativo. Se exercitar é o primeiro passo para buscar qualidade de vida de maneira correta e saudável.

2. Alimentação

No entanto, somente atividades físicas não promovem uma boa qualidade de vida.

Isso porque é preciso alinhar o consumo correto de alimentos. As quantidades certas de nutrientes que o corpo precisa para ter energia.

Além disso, uma alimentação saudável é a principal aliada para alcançar os objetivos pretendidos com exercício físico. Por exemplo, emagrecimento ou controle de doenças.

Mas é preciso se atentar para uma dieta adequada, que traga qualidade de vida para o indivíduo.

Cada pessoa precisa ingerir determinada quantidade de nutrientes. Por isso, deve adaptar a dieta as suas próprias necessidades.

Sendo assim, é indispensável consultar profissionais da área e fazer um acompanhamento adequado. Inclusive, o acesso à saúde faz parte da qualidade de vida.

Contudo, existem algumas indicações mais gerais, que podem ser seguidas por todas as pessoas. Isso inclui:

  • Consumo de legumes, verduras e frutas;
  • Beber 2 litros de água por dia;
  • Evitar comidas gordurosas e processados.

Dessa forma, as atividades multidisciplinares oferecem resultados mais consistentes. Consequentemente, maior bem-estar.

Pessoas que têm interesse em passar pela reeducação alimentar precisam seguir um plano alimentar correto.

Apenas profissionais podem indicar isso seguramente, analisando as necessidades de cada paciente. A longo prazo, é preciso criar e manter novos hábitos.

Inclusive, qualidade de vida não envolve apenas comer saudável, mas comer bem e ter prazer nisso. Ou seja, equilibrar os alimentos, mas sem sacrifícios ou dietas restritivas.

3. Repouso

Por fim, o terceiro fator essencial para uma boa qualidade de vida é o repouso.

Muitas pessoas se esquecem, ou sequer sabem que esse aspecto oferece grande influência no cotidiano.

Isso porque é durante o repouso que o corpo tem a chance de se restaurar e melhorar seu condicionamento.

Nesse caso, entende-se repouso como o intervalo entre um estímulo e outro. Por exemplo, entre atividades físicas ou prática de esportes.

Unido a uma reestruturação alimentar, o repouso é fundamental para permitir que o corpo assimile as mudanças.

Pessoas que impulsionam seu estilo de vida de maneira muito brusca podem obter o efeito contrário do que esperam.

Ou seja, desenvolver doenças e lesões graves. Por isso, o descanso faz parte de uma rotina saudável e que traz bem-estar.

O intervalo entre cada estímulo depende das necessidades de cada indivíduo. Isso inclui dieta, as atividades físicas desenvolvidas e os objetivos.

A tonificação muscular exige repousos diferentes do controle de doenças ou redução de peso. Assim, é necessário avaliar adequadamente cada condição.

Junto dos exercícios e da alimentação adequada, o repouso completa os 3 pilares da qualidade de vida.

Quais os benefícios de uma boa qualidade de vida?

Além da qualidade de vida ser um direito assegurado a todos os indivíduos, ela também traz uma série de benefícios.

Confira alguns dos principais agora.

Evita doenças

Uma das principais vantagens de buscar saúde e qualidade de vida é evitar doenças. Diversos tipos de enfermidades podem ser controlados e eliminados com exercícios e alimentação correta.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o sedentarismo é considerado o quarto maior risco de morte no mundo.

Doenças cardiovasculares e crônicas são mais comuns em pessoas pouco ativas. Por outro lado, a prática de atividades e uma alimentação saudável podem reduzir consideravelmente essa porcentagem.

Dessa forma, além de proporcionar qualidade de vida, exercícios e nutrientes adequados também diminuem e evitam doenças.

Isso é fundamental para uma vida plena e bem-estar no dia a dia.

Aumento da autoestima

Saúde e qualidade de vida também estão relacionados a autoestima. Pessoas que se cuidam e praticam exercícios melhoram a forma como elas se veem.

Além disso, muitos buscam mudanças estéticas, como emagrecer e tonificar músculos.

Isso é fundamental para garantir o aumento da estima pessoal. Posteriormente, também influência a forma como a pessoa interage socialmente.

Inclusive, esse é um dos fatores que definem a qualidade de vida. Portanto, deve ser buscado.

Promove uma vida plena

De forma geral, uma rotina saudável promove vida plena e bem-estar a longo prazo.

Exercícios liberam substâncias relacionadas a felicidade, energia e vitalidade. Enquanto isso, uma correta alimentação potencializa os resultados.

Enquanto isso, o repouso permite que o corpo e a mente descansem do esforço. Com esses pilares, o indivíduo é capaz de ter uma vida plena e digna.

Não apenas cuidando de sua saúde, mas também se relacionando melhor e aproveitando ao seu redor.

Conclusão: Por que devemos buscar a qualidade de vida?

Qualidade de vida é mais que um objetivo, é um direito. Todas as pessoas devem viver plenamente e alcançarem o bem-estar.

Não apenas a curto prazo, mas de maneira estável. Por isso, essa busca é um investimento, que leva tempo, dedicação e esforço.

No entanto, é importante, para que promova uma vida saudável e que atenda todas as necessidades humanas.

Por fim, é fundamental procurar bons profissionais, ter uma rede de apoio e, principalmente, não deixar de seguir em frente.

 

Gostou das dicas? Se sim, compartilhe sua opinião com a equipe GoMed nos comentários logo abaixo.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quer estar sempre atualizado?

Receba conteúdos específicos da sua área em seu e-mail.

Andréa Fontoura

Possui graduação plena em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1997), mestrado (2001) e doutorado (2012) em Ciências do Movimento Humano pela mesma Universidade (UFRGS). Professora adjunta da Universidade Luterana do Brasil de 2001 à 2015. Possui certificação nível 1 da International Society for Advancement of Kineanthropometry (ISAK) (2013). Ministra consultorias e capacitações em academias com o objetivo de atualizar os colaboradores nas áreas de avaliação física e prescrição (público em geral e público especial). Autora do livro: Guia Prático de Avaliação Física. Uma abordagem didática, abrangente e atualizada. 2 Edição revisada e atualizada (Phorte, 2013). Atualmente Docente da Faculdade SOGIPA e Headmind do Programa de Exercícios para Gestante e Assistente na Coordenação Técnica da Academia INEEX em Porto Alegre. Também atua na área da maternidade como Educadora Perinatal (International Childbirth Education Association ICEA – 2015), ministrando consultorias e cursos para gestantes.